Bandas do passado que eu traria para o presente

Ai mas eu sou tãaaaao clichê!

Quando eu vi a sugestão do Rotaroots “Uma banda do passado que eu traria para o presente” é claro que eu pensei em fazer um super post sobre os Beatles né, galera? Mas eu percebi que esse blog já tem muitos posts sobre os quatro caras, então decidi abrir um espacinho pra algumas outras bandas que eu gostaria de ir em um showzinho né.

Mas vamos começar do começo.

OS BILTONS

A banda que durou de 1960 a 1970, quando Jho Leno foi assassinado. Beatles não só foi como ainda é sucesso e tenho certeza que pelo menos todas as pessoas do mundo já ouviram pelo menos uma vez. Ainda existe a possibilidade de ir num show do Paul ou do Ringo, mas nada deve ser comparado a sensação de presenciar um show dessa banda completinha assim.

NORVANA

Mais uma banda que acabou com o suicídio? assassinato? morte de um membro. No caso Kurt Cobain, o vocalista que foi encontrado morto em 1994. A banda começou em 1987 e tem vários sucessos, entre eles Smells like teen spirit que provavelmente você conhece. Se você reparar bem, Dave Grohl, que era baterista do nirvana se parece muito com o vocalista do Foo Fighters.

LEGIÃO URBANA

Sabe a pessoa chata que sabe cantar Faroeste Caboclo inteirinha e se exibe por isso? Euzinha. Sou fã sim do tal Renato Russo (mais um que morreu) e é claro que amaria presenciar um show do Legião. Hoje a noite não tem luaaaar. A banda durou de 88 a 92.

CAZUZA

Cazuza, também conhecido (ou não) como Agenor de Miranda Araújo Neto foi um cantor que nasceu em 58 no Rio de Janeiro e faleceu em 1990. Era vocalista da banda Barão Vermelho, mas minhas músicas preferidas dele são as da carreira solo. Seus pais fundaram após a sua morte a Sociedade Viva Cazuza que “tem como intenção proporcionar uma vida melhor a crianças soropositivas através de assistência à saúde, educação e lazer.”

CÁSSIA ELLER

Pra terminar o post em alto estilo, cito nossa querida Cássia Eller.Cássia nasceu em 62 e morreu em 2001, a única que morreu quando eu já tinha nascido, e que eu me lembro de ver na TV quando era bem pequena. Cresci ouvindo “Malandragem” e “Segundo Sol”, então é claro que ela não podia faltar por aqui. Trocaria um rim pra ver ela e o Nando Reis cantando All Star juntos ao vivo e tô ansiosa por esse documentário que vai ser lançado esse ano.

Como cês podem ver, meus herois morreram de overdose, meus inimigos estão no poder artistas preferidos não estão mais presentes entre nós e eu acho isso muito injusto, haha. Amaria ter tido a oportunidade de comparecer a pelo menos um show de cada e se puder acrescentar mais ainda eu colocaria Janis Joplin, Elvis Presley e Mamonas Assassinas. Alguma dúvida que nasci na época errada?

E vocês, que banda trariam para o presente?

06/52: um álbum com um nome estranho

Eu sei que esse post devia ter saído na terça, mas terça pra mim foi domingo então tá saindo hoje mesmo.

Minha escolha pra essa semana foi Flutterby, da Butterfly Boucher. O nome não é tão estranho assim, é só uma brincadeira com o nome butterfly, mas eu não consegui pensar em nada melhor. Butterfly Boucher é uma cantora australiana e Flutterby foi seu primeiro álbum solo, lançado no fim de 2003 na Austrália e no começo de 2004 nos EUA. Todas as músicas foram compostas por ela, e a cantora também tocou quase todos os instrumentos. Ah, o nome dela é Butterfly mesmo tá?! Não é nome artístico.

A primeira música que ouvi da cantora, foi Life Is Short, ouvi em um episódio da primeira temporada de Grey’s Anatomy. Life is Short também era música tema da série The Days. Com algumas outras músicas em Grey’s Anatomy (Never Leave Your Heart Alone e A Bitter Song) acabei me interessando e baixado o álbum, me encontrei com a moça também no piloto de Switched at Birth. Já adianto que tem músicas dela em vários filmes e séries, provavelmente você já ouviu antes.

Em 2013, no aniversário de 10 anos do álbum, ela o regravou, na edição comemorativa “Happy Birthday, Flutterby”, mas dessa vez ela contou com a ajuda de vários amigos nas gravações. E também tem um mini documentário sobre esse álbum, veja aqui no canal dela no Youtube.

Ficha Técnica:
Flutterby – 2004
Melhor música: “Another White Dash”
Pior música (ou a menos menos boa): Soul Back
Não deixe de ouvir: “Life is Short” e “Scary Fragile” você deve reconhecer.
Por que você deveria ouvir? Porque é um folk gostosinho de uma australiana autêntica que conquistou Hollywood.
Numa escala de 1 a 5: 5 borboletas

Clica aí #2

Alô terráqueos! Olha quem resolveu aparecer depois de quatro dias, hahaha. Aproveitei o carnaval pra dormir, assistir muitos filmes com o namorado e ficar o máximo possível longe da internet. Maaas separei as coisinhas legais que vi por aí e trouxe pra vocês.

A Gabi do Teoria Criativa mostrou um montão de pôsteres grátis pra você imprimir e decorar suas paredes.

A Paula do Não Provoque, contou tudo sobre o cabelo vermelho cereja dela, que ficou lindo!

O Buzzfeed postou 29 desafios que apenas as pessoas que sofrem de déficit de atenção entenderão, e eu me identifiquei com todos.

O Catraca Livre deu 5 dicas incríveis pra não passar vergonha falando sobre Impeachment.

E por último (mas não menos importante) esse vídeo editado por fãs do Harry Potter que mostra a história de Severus Snape em ordem cronológica. Se você ainda não viu, já tá passando da hora. Vem morrer de saudade!

Até amanhã, pessoal!

Fotografias de uma sexta qualquer.

Faz um tempão que não faço um post aqui com fotos aleatórias. Mas parando pra pensar, eu não tenho fotografado muito fora dos projetos que tenho, mas ontem estava numa rua da cidade que acho bonitinha, e resolvi fazer umas fotinhos pra postar por aqui. Não é nada de mais, mas eu curto umas coisinhas simples assim as vezes.

IMG_0335

IMG_0411

IMG_0406

IMG_0403

IMG_0399

IMG_0396

IMG_0390

IMG_0358

IMG_0351

IMG_0346

Vou aproveitar o post cheio de fotografias, pra contar que decidi me arriscar e vou começar a trabalhar com isso. Pra divulgar meu trabalho, fiz essa página aqui no facebook. Se você gosta das minhas fotos, curte lá! Beijocas e bom fim de semana pra todo mundo.

Clica aí!

Se tem uma coisa que eu adoro, são aqueles posts estilo “link party” que o pessoal faz, porque aí eu acabo lendo um montão de coisa legal. Sendo assim, decidi fazer por aqui também!

Como eu não quero definir um dia certo na semana pra fazer esse tipo de post (vai que eu não acho nada legal?!), vou começar hoje mas não sei quando será o próximo. Espero que seja logo!

Primeiro tem esse aqui do The Week, mostrando porque você deve se preocupar com a pergunta que Frank Bruni fez a Jennifer Anniston sobre Brangelina, mesmo anos depois da separação do Brad e da Jen.

Também tem esse maravilhoso da Ana Rodarte no Fashiombudz, mostrando como Frozen transformou o design de figurino na animação.

A Bruna Tavares, do Pausa Para Feminices, mostrou como seriam os cabelos das princesas se fossem mais reais, e eu amei!

Nos vídeos a gente tem o trailer maravilhoso de Morte Súbita (The Casual Vacancy), a minissérie baseada no livro de mesmo nome da J.K. Rowling. E é claro que eu estou super ansiosa!

E é claro, o comercial maravilhoso da Budweiser no SuperBowl.

Cês já tinham visto? Gostam desse tipo de post? Falaê!

05/52: um álbum que sempre lembram de mim quando escutam

Olha a Taylor Swift de novo aí, gente!

Foi só eu falar da Taylor aqui numa semana que ela á tá de volta. Bicha, a senhora é destruidora mesmo hein?! Mas pois é pessoal, a escolha dessa vez não foi minha. Eu achei que seria complicado pedir pras minhas amigas que me falassem um álbum que lembrassem de mim ao ouvir, então pedi só uma música. Como só a Laís, minha companheira no Grey’s Anatomy Brasil (beijo, Laís), me respondeu na hora, decidi colocar a escolha dela.

E a música escolhida foi Mean, da Taylor Swift. Nunca imaginei, mas tá tudo bem, hahaha. Amei a explicação que ela me deu e decidi trazer pra cá. Essa música faz parte do álbum Speak Now, de 2011 e esse álbum também é legal! Na época eu me lembro de ouvir sempre, mas acabou ficando esquecido. Acabei fazendo um momento nostalgia aqui e percebi que sabia cantar todas as letras hahaha.

É um álbum com uma pegada mais country (que eu amo!) e que tem uma música que eu me lembro de ouvir repetidamente: Back to december. Como nem tudo é perfeito, nesse álbum está Long Live, a música da Taylor que eu mais detesto pelo simples motivo de: a Paula Fernandes regravou.

Ficha Técnica:
Speak Now – 2011
Melhor música: “Back to december”
Pior música (ou a menos menos boa): Long Live
Não deixe de ouvir: “Mean” e “Las Kiss” são uma delícia.
Por que você deveria ouvir? Se você gosta das baladinhas de 1989, precisa lembrar de como também era gostoso ouvir Taylor com essa pegada country.
Numa escala de 1 a 5: 4 taylor com cabelos que eu queria ter

7 on 7 – Música

Olaaar! Eu sei que o projeto se chama 7 on 7 porque são 7 fotos postadas no dia 7, mas é que eu me enrolei e não programei o post, e como dia 7 foi sábado e no fim de semana eu quase nunca fico no computador, acabei postando só hoje mesmo. Tá valendo, né?! 7035168529_230d047b2e_z O tema foi música e pra começar, escolhi essa foto que tirei da mão do Tavares no Workshop Próximo Clique que teve em BH em 2013, eu acho.

15863421049_e250bce3d0_z
E aí teve essa exposição linda que fui com a Verônica na Urban Arts de BH. 6201269374_fdd458f95c_z Daí tem essa de 2011. Morro de saudade dessa época, quando eu vivia no flickr e era bem mais criativa. 5964014937_c0111fc2cb_z E aí teve uma vez que eu tentei aprender a tocar violão, mas não rolou.

8083717393_c17876248b_z8135654092_cb165d60a4_z
Quando o mozão tinha banda e eu fotografava os shows. essa E pra terminar, essas três garrafas da minha coleção relacionadas a música. “Trooper” é uma cerveja inglesa do Iron Maiden, “God Save The Queen” é mineirinha, da Kud. “Tianastácia” é da banda mineira que leva o mesmo nome. E aí, cês me desculpam pelo atraso? Não se esqueçam de conferir as fotos das outras meninas! Crystal | Gabi | Isa | Mônica I Verônica | Vic

Jimmy Fallon

Eu gosto muito de talk shows, tipo, muito mesmo. Os brasileiros que passam na TV aberta, eu assisto sempre que dá, mas como sou muito fã e séries, acabo acompanhando alguns americanos na internet mesmo pra assistir entrevistas com meus atores preferidos. E foi numa dessas que descobri o Jimmy Fallon.

Não vim aqui pra falar sobre a vida do cara, já que pra isso eu ia ter que procurar na wikipedia. Vim falar das coisas maravilhosas e incríveis que acontecem no seu programa. hahaha Sério, gente! Sabe quando você vê um vídeo e quer compartilhar com todo mundo? Foi mais ou menos o que aconteceu quando eu vi esse vídeo aqui semana passada.

Fala se não ficou demais?! Claro que os caras do The Roots mandam muito, mas a união de tudo ficou perfeito. E ontem eu me acabei de rir com esse vídeo aqui.

Lip Sync Battle é tipo um concurso de dublagem, que acontece no programa. Esse teve a participação do Will Ferrell, Kevin Hart e até da Drew Barrymore. Sério, vaidizê que você não queria ir até lá e apresentar as performances que faz no quarto?

É claro que não poderia faltar essa performance maravilhosíssima de breakdance que ele fez com o Brad Pitt.

Ou a nova voz do Morgan Freeman.

Tá bom, parei com os vídeos! Mas fala sério, ele não é demais? Atualmente ele apresenta o programa The Tonight Show, onde aconteceu a reveladora entrevista com a Nicole Kidman, e também serve de palco pra todas essas coisas maravilhosas.

Eu sei que esse não foi um post tão relevante assim, mas as vezes eu só quero usar esse cantinho pra compartilhar coisas que eu acho legais e essa é uma delas. Espero que cês gostem!

4/52: um álbum para dançar como se ninguém estivesse vendo

Eu pensei e pensei e pensei antes de fazer esse post (que devia ter saído ontem), mas não teve jeito, eu não posso negar o que tenho ouvido nas últimas semanas.

Tá, ok, admito: por mais que eu não seja fã da moça e nem conheça tanto assim o trabalho dela, não teve como correr desse álbum galera. Ele chegou de mansinho com Shake it Off e quando eu vi já sabia Blank Space de cor. cause darling, I’m a nightmare dressed like a daydream. (a frase é da taylor e não minha, só tô avisando porque não sei ao certo quais frases ela registrou e VAI QUE NÉ?! hahahaha parei.)

Quando eu conheci a Taylor (e a interpretei num remake de “You belong with me” pro inglês) lá em 2008, eu gostava sim. Tinha o Feraless no celular e sabia t o d a s as músicas. Mas o tempo passa, né migos. E o cúmulo foi quando a Paula Fernandes regravou uma música da Taylor colocando metade Paula e metade Taylor. Não dá. Desisti de vez e abandonei num canto escuro.

Mas aí esse clipe aí de cima apareceu na minha frente por meio daquele site que eu acesso pra saber das 9dades do mundo dos famosos, o PapelPop. Eu nem ia assistir, mas os comentários eram tão maravilhosos que eu decidi dar uma chance. Eu eu me arrependi. Me arrependi eternamente porque eu soube naquele minuto que não conseguiria ficar parada enquanto essa música estivesse tocando. E aí fui atrás do álbum e acabei gostando da maioria das músicas. Acontece.

Ficha Técnica:
1989 – 2014
Melhor música: “Shake it off”
Pior música (ou a menos menos boa): New Romantics
Não deixe de ouvir: “Welcome to New York” e “All you had to do was stay” são boas também.
Por que você deveria ouvir?: Olha, porque é divertido, porque ela fez algo legal depois de um bom tempo fazendo clichês, porque ela “cresceu” muito nesse album.
Numa escala de 1 a 5: 3 músicas que grudam na cabeça