52 albuns

06/52: um álbum com um nome estranho

Eu sei que esse post devia ter saído na terça, mas terça pra mim foi domingo então tá saindo hoje mesmo.

Minha escolha pra essa semana foi Flutterby, da Butterfly Boucher. O nome não é tão estranho assim, é só uma brincadeira com o nome butterfly, mas eu não consegui pensar em nada melhor. Butterfly Boucher é uma cantora australiana e Flutterby foi seu primeiro álbum solo, lançado no fim de 2003 na Austrália e no começo de 2004 nos EUA. Todas as músicas foram compostas por ela, e a cantora também tocou quase todos os instrumentos. Ah, o nome dela é Butterfly mesmo tá?! Não é nome artístico.

A primeira música que ouvi da cantora, foi Life Is Short, ouvi em um episódio da primeira temporada de Grey’s Anatomy. Life is Short também era música tema da série The Days. Com algumas outras músicas em Grey’s Anatomy (Never Leave Your Heart Alone e A Bitter Song) acabei me interessando e baixado o álbum, me encontrei com a moça também no piloto de Switched at Birth. Já adianto que tem músicas dela em vários filmes e séries, provavelmente você já ouviu antes.

Em 2013, no aniversário de 10 anos do álbum, ela o regravou, na edição comemorativa “Happy Birthday, Flutterby”, mas dessa vez ela contou com a ajuda de vários amigos nas gravações. E também tem um mini documentário sobre esse álbum, veja aqui no canal dela no Youtube.

Ficha Técnica:
Flutterby – 2004
Melhor música: “Another White Dash”
Pior música (ou a menos menos boa): Soul Back
Não deixe de ouvir: “Life is Short” e “Scary Fragile” você deve reconhecer.
Por que você deveria ouvir? Porque é um folk gostosinho de uma australiana autêntica que conquistou Hollywood.
Numa escala de 1 a 5: 5 borboletas

Anúncios

05/52: um álbum que sempre lembram de mim quando escutam

Olha a Taylor Swift de novo aí, gente!

Foi só eu falar da Taylor aqui numa semana que ela á tá de volta. Bicha, a senhora é destruidora mesmo hein?! Mas pois é pessoal, a escolha dessa vez não foi minha. Eu achei que seria complicado pedir pras minhas amigas que me falassem um álbum que lembrassem de mim ao ouvir, então pedi só uma música. Como só a Laís, minha companheira no Grey’s Anatomy Brasil (beijo, Laís), me respondeu na hora, decidi colocar a escolha dela.

E a música escolhida foi Mean, da Taylor Swift. Nunca imaginei, mas tá tudo bem, hahaha. Amei a explicação que ela me deu e decidi trazer pra cá. Essa música faz parte do álbum Speak Now, de 2011 e esse álbum também é legal! Na época eu me lembro de ouvir sempre, mas acabou ficando esquecido. Acabei fazendo um momento nostalgia aqui e percebi que sabia cantar todas as letras hahaha.

É um álbum com uma pegada mais country (que eu amo!) e que tem uma música que eu me lembro de ouvir repetidamente: Back to december. Como nem tudo é perfeito, nesse álbum está Long Live, a música da Taylor que eu mais detesto pelo simples motivo de: a Paula Fernandes regravou.

Ficha Técnica:
Speak Now – 2011
Melhor música: “Back to december”
Pior música (ou a menos menos boa): Long Live
Não deixe de ouvir: “Mean” e “Las Kiss” são uma delícia.
Por que você deveria ouvir? Se você gosta das baladinhas de 1989, precisa lembrar de como também era gostoso ouvir Taylor com essa pegada country.
Numa escala de 1 a 5: 4 taylor com cabelos que eu queria ter

4/52: um álbum para dançar como se ninguém estivesse vendo

Eu pensei e pensei e pensei antes de fazer esse post (que devia ter saído ontem), mas não teve jeito, eu não posso negar o que tenho ouvido nas últimas semanas.

Tá, ok, admito: por mais que eu não seja fã da moça e nem conheça tanto assim o trabalho dela, não teve como correr desse álbum galera. Ele chegou de mansinho com Shake it Off e quando eu vi já sabia Blank Space de cor. cause darling, I’m a nightmare dressed like a daydream. (a frase é da taylor e não minha, só tô avisando porque não sei ao certo quais frases ela registrou e VAI QUE NÉ?! hahahaha parei.)

Quando eu conheci a Taylor (e a interpretei num remake de “You belong with me” pro inglês) lá em 2008, eu gostava sim. Tinha o Feraless no celular e sabia t o d a s as músicas. Mas o tempo passa, né migos. E o cúmulo foi quando a Paula Fernandes regravou uma música da Taylor colocando metade Paula e metade Taylor. Não dá. Desisti de vez e abandonei num canto escuro.

Mas aí esse clipe aí de cima apareceu na minha frente por meio daquele site que eu acesso pra saber das 9dades do mundo dos famosos, o PapelPop. Eu nem ia assistir, mas os comentários eram tão maravilhosos que eu decidi dar uma chance. Eu eu me arrependi. Me arrependi eternamente porque eu soube naquele minuto que não conseguiria ficar parada enquanto essa música estivesse tocando. E aí fui atrás do álbum e acabei gostando da maioria das músicas. Acontece.

Ficha Técnica:
1989 – 2014
Melhor música: “Shake it off”
Pior música (ou a menos menos boa): New Romantics
Não deixe de ouvir: “Welcome to New York” e “All you had to do was stay” são boas também.
Por que você deveria ouvir?: Olha, porque é divertido, porque ela fez algo legal depois de um bom tempo fazendo clichês, porque ela “cresceu” muito nesse album.
Numa escala de 1 a 5: 3 músicas que grudam na cabeça